INSS erra cálculo e aposentadas recebem diferença

As mulheres que se aposentaram por idade entre novembro de 1999 e março de 2007 devem ficar atentas às suas contas, porque a Previdência Social começou a pagar agora uma diferença nos benefícios de cerca de 10.173 aposentadas, referentes a um erro de cálculo. Os créditos serão depositados de uma só vez, juntamente com o benefício deste mês, nas contas correntes das aposentadas, até a quarta-feira. Não serão enviadas cartas ou qualquer outro tipo de comunicação às aposentadas, portanto é preciso atenção.

As diferenças variam muito de R$ 0,01 até mais de R$ 20 mil, porque o cálculo se baseia na média das contribuições ao longo da vida de trabalho de cada pessoa. Cerca de 35% das seguradas terão direito a até R$ 500 de diferença; 14% entre R$ 500 a R$ 1.000; 16% entre R$ 1.000 e R$ 2.000; 22,7% entre R$ 2.000 e R$ 5.000; 10% entre R$ 5.000 e R$ 10.000 e 2% entre R$ 10.000 e R$ 20.000. Ainda estão sendo revistos 212 casos de aposentadas falecidas que tinham direito a alguma diferença.

Quem quiser saber se está entre as beneficiadas pode verificar na tabela Excel anexada no rodapé da matéria, telefonar à central de atendimento do INSS pelo 135 ou acessar o site do ministério na internet no endereço:

http://www.previdencia.gov.br/

O erro foi constatado por uma reclamação feita em março deste ano por uma aposentada, o que motivou a revisão geral de 615 mil benefícios desse tipo concedidos desde 1999. Ele foi provocado pela aplicação do fator previdenciário no cálculo das aposentadorias por idade, sem levar em conta a vantagem de cinco anos menos que as mulheres têm em relação aos homens para se aposentar.

Fonte: Diário Net

2 comentários:

Annelise disse...

Boa tarde , gostaria de uma informação: No Jornal Agora Sào Paulo de 22/07/07 saiu uma reportagem avisando que quem se aposentou de 1992 a dez 1997 te Direito a uma nova revisão? Será verdade ?

Aguardo contato no e-mail annemoralesadv@hotmail.com Obrigada pela atenção Annelise

Mario disse...

Cara Dra. Sonia Maria.
Entrei na sua página e tomei a ousadia de lhe fazer uma pergunta.
Sou advogado em São Paulo e estou tocando um processo de revisão de aposentadoria no Rio Grande do Sul e estou com um impasse entre os cálculos do perito do autor, meu cliente, e os do INSS.
É em juizado especial federal e o juiz da causa está propenso a enviar o processo para a Contadoria do TRF4 em Porto Alegre para resolver o impasse porque a contadora do juízo não tem experiência, visto ser uma cidade interiorana.
Se a Dra. já teve algum caso semelhante agradeço o retorno, com urgência porque preciso da resolução pra ontem. Se não teve, não precisa responder.


mlcipriano@gmail.com